Tribuna de Justiça de AL pode suspender inelegibilidade de Arthur Lira
14/04/2018 - 7h33 em Alagoas

O desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), Cerlyrio Adamastor, deve decidir se deputados estaduais e federais de Alagoas condenados na operação Taturana, em segunda instância, poderão participar das eleições deste ano. E nessa situação de inelegibilidade está o líder do PP na Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

Vale lembrar que os deputados estão inelegíveis devido à condenação da primeira instância confirmada pelo TJ-AL em dezembro último. Pela Lei da Ficha Limpa, condenados em segunda instância não podem ser candidatos nas eleições. Esse é o caso, por exemplo, do presidente Lula.

O deputado Arthur Lira deu entrada, através de seus advogados, em recurso que pode suspender a condenação – o que se ocorrer o tornaria elegível. Mas tudo vai depender do sim ou não do magistrado. Advogado do deputado Arthur Lira, Fábio Ferrário explicou a um site local, que “cada recurso tem sua própria argumentação”.

Além de Arthur Lira podem ser beneficiados, no mesmo lote de julgamento da Tarurana, em caso de uma decisão do desembargador em favor dos réus, Paulão, Isnaldo Bulhões JR e Cícero Almeida, entre outros.

Lira e outros parlamentares apresentaram pedido o efeito suspensivo da sentença. No caso de Lira, segundo o advogado, “não houve o enfrentamento do mérito porque ele não foi notificado oficialmente para o julgamento do TJ”.

O processo corre em segredo de Justiça. A decisão do desembargador pode ser anunciada a qualquer momento.

*Redação Alagoas Alerta com Jornal de Alagoas

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!